Política x bolsa brasileira

Nos últimos meses, para além da pandemia, eventos de natureza política mexeram com o Ibovespa. Entenda por que quem investe em ações no Brasil tem que ficar mais de olho na política do que o normal.

Os mais de 3 milhões de investidores da bolsa brasileira têm que manter sempre um olho na política de Brasília. Nas últimas semanas, por exemplo, temos acompanhado uma CPI que tem como objetivo elucidar alguns casos duvidosos envolvendo figuras do governo e empresas. E sempre que sai algum fato relevante deste meio, o Ibovespa tende a reagir bastante. Isso é a política provocando volatilidade no mercado financeiro. 

Tal tipo de acontecimento é comum aos investidores brasileiros. A política tem grande influência na nossa bolsa, e não apenas da maneira mais óbvia.

Quem investe no mercado de ações brasileiro costuma estar sempre com um olho em Brasília. Os acontecimentos políticos têm muita influência na bolsa, pelo menos no curto prazo. Mas isso não acontece só pelas razões mais óbvias. 

A política talvez não seja o fator de maior peso no desempenho das empresas brasileiras e das ações negociadas em bolsa. Mas você já deve ter percebido que Brasília e alguns governos estaduais têm grande influência nos preços das ações e no desempenho do Ibovespa, ao menos no curto prazo.

Em época de eleição isso fica mais evidente. Os altos e baixos do mercado se tornam mais fortes às vésperas de um pleito presidencial, principalmente dos mais indefinidos, o que tende a aumentar a incerteza acerca do destino da economia.

A política tem vários mecanismos que podem afetar a bolsa. Um exemplo, é a tomada de decisões de políticos que afetam a economia como um todo e as empresas de um setor ou outro. No caso da bolsa brasileira, tem mais um fator: a presença de muitas estatais federais e estaduais, além de empresas altamente expostas ao cenário político.

Algumas delas, inclusive, têm grande peso no Ibovespa, como Petrobras e Banco do Brasil. Também é o caso dos grandes bancos privados, muito suscetíveis ao que acontece no mundo da política. A postura do governo federal tende a afetar o desempenho das ações dessas companhias e, consequentemente, do Ibovespa como um todo. Isso vale para as ações das estatais ligadas a governos estaduais.

Se desconsiderarmos outros fatores que mexem com os preços das ações, governos percebidos como mais intervencionistas e estatizantes tendem a pesar negativamente para as ações dessas organizações, enquanto governos mais liberais e afeitos a privatizações tendem a beneficiá-las. Isso porque o mercado entende que em cenários de menor intervenção, essas empresas vão poder buscar o lucro com mais afinco.

Gostou do conteúdo? Compartilhe com seus amigos e deixe um comentário

que pode ser até uma

dúvida.

Seja bem-vindo(a) a

esse novo mundo. 

Um abraço

Time Strike

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.