Investimento no exterior e Offshore

Investidor Pequeno

Além de um constante sobe e desce da Bolsa, que tem deixado muitos investidores e economistas cautelosos quando o assunto é mercado nacional, o investidor brasileiro enfrenta alguns desafios a mais: a volta da subida dos juros e do câmbio. 

Essa cautela é ainda maior para o grupo de investidores que sofreram uma desvalorização relevante em suas carteiras por estarem pouco diversificado. Quem é nosso leitor frequente sabe da “regra de ouro” que é diversificar para mitigar os riscos. 

Olhando para esse cenário, muitos investidores no Brasil estão buscando uma diversificação de carteira no exterior, seja em ações, títulos públicos e privados, câmbio e inclusive commodities.

O que é considerado investimento no exterior?

O Bacen (Banco Central) considera como “investimento no exterior” aquisições de ações das empresas estrangeiras, tanto de forma direta no exterior ou através de BDRs (“Brazilian Depositary Receipts”).

O Banco Central desde 2006 autorizou brasileiros a aplicarem em fundos de investimentos internacionais. Ainda é mais comum investidores estrangeiros colocarem dinheiro no mercado brasileiro, por conta da vantagem cambial. Mas o inverso está se tornando cada vez mais comum.

Gráfico, Gráfico de cascata
Descrição gerada automaticamente

Para se ter uma ideia, um movimento que vem se intensificando é o de a BM&FBovespa juntar recibos de ações de companhias consagradas no mercado mundial como a Amazon, Google, Coca-Cola, Aplle, Amazon, McDonal’s e Nike, entre várias outras. 

Como fazer para investir no exterior?

Para quem tem perfil e gostaria de começar a investir no mercado internacional, é recomendável a busca de informações sobre os riscos e a política do mercado estrangeiro considerando o câmbio, o momento da economia etc.

Além disso, investir lá fora requer um montante inicial nada modesto e deve ser declarado no imposto de renda da mesma forma como se faz com os investimentos feitos no Brasil. Só é importante atentar-se que se o valor for igual ou acima de US$ 100 mil dólares é importante prestar contas ao Banco Central também.

Por fim, é importante ressaltar que conforme a disponibilidade de ativos financeiros for aumentando, a confecção da carteira se tornará cada vez mais trabalhosa para o investidor. As inúmeras opções de fundos disponíveis no mercado deixam muita gente confusa na hora de decidir qual é o ideal de acordo com seu perfil e objetivo. Portanto, nessa hora será fundamental contar com a figura de um profissional para extrair máximo de ganho que um investimento pode proporcionar. 

Compreender a dinâmica do mercado financeiro e todas as possibilidades que ele oferece é um dos primeiros passos para ser um investidor de sucesso. Sempre recomendamos que você também busque uma assessoria especializada e nós da Strike Investimentos, escritório vinculado a Nova Futura, estamos aqui para isso.

Investidor Grande

Empresa Offshore: o que é e como funciona?

Do inglês, offshore pode ser traduzido como “afastado da costa” ou “em alto-mar”. Nesse caso, o termo se refere a empreendimento ou contas bancárias abertas fora do país de origem do proprietário.

Embora sejam vinculadas a paraísos fiscais e crimes de sonegação fiscal, empresas offshore não são necessariamente ilegais. Para auxiliar no entendimento do assunto.

Uma empresa offshore ainda se difere de uma multinacional, pois não tem sede nem realiza nenhuma atividade no país originário de seu proprietário.

Podem ser conhecidas como sociedade ou empresa extraterritorial. Além de serem concebidas em locais com tratamento diferenciado, as empresas têm protocolos de proteção de seus investidores, permitindo que sejam até mesmo anônimos.

Em comparação, a modalidade onshore é a que as empresas mantêm suas transações no país de origem ou “em terra”. Dessa maneira, suas obrigações fiscais são regidas pelas políticas internas do local onde reside.

Tipos de empresa

Alguns dos tipos principais de empresa são: International Business Company (IBC), Limited Liability Company (LLC) e Trust. Conheça mais cada tipo a seguir.

International Business Company (IBC)

Uma IBC é uma empresa internacional completa, com diretores, acionistas e capital social em âmbito internacional.

Limited Liability Company (LLC)

As empresas LLC são um enquadramento americano como sociedade limitada, em que as ações são repartidas. Esse modelo é muito comum na aquisição de imóveis.

Trust

É o modelo mais complexo e funciona como um contrato para terceirizar a administração de bens e direitos de um Seattle ou outorgante para um truste ou curador.

Onde se localizam?

Uma imagem contendo recife, fumaça
Descrição gerada automaticamente

Um paraíso fiscal entre os mais conhecidos são as Ilhas Cayman, no Caribe

As empresas offshore buscam lugares que apresentem atrativos como: moedas fortes (por exemplo o dólar americano e o euro); estabilidade econômica e política; carga tributária menor ou até isenção fiscal; segurança; liberdade de câmbio, entre outros.

Comumente chamados “paraísos fiscais”, esses locais visam atrair investidores e capital estrangeiro, portanto permitem que não residentes abram contas bancárias e empresas de forma rápida, sem burocracia. Alguns dos locais mais comuns são Bahamas, o Panamá e as Ilhas Cayman.

Empresas offshore são legais?

Abrir uma empresa offshore por si só não apresenta nenhuma ilegalidade, desde que esta seja declarada à Receita Federal e ao Banco do Brasil quando possuir um patrimônio maior que US$ 100 mil, garantindo a transparência do negócio.

Conforme as questões jurídicas, evitar o pagamento de impostos não é configurado como crime nem implica em evasão fiscal. Na verdade, são esses benefícios fiscais que atraem empreendedores a optar por essa modalidade, pela possibilidade de pagar menos impostos legalmente.

No entanto, um dos pontos que levam as empresas offshore a serem relacionadas a crimes de sonegação é as empresas de fachada, que não têm atividade real e existem somente para a lavagem de dinheiro; além dos protocolos de sigilo da identidade dos reais beneficiários, que podem trazer desconfiança e a sensação de “dinheiro sujo”.

Sociedade Offshore e Elisão Fiscal

A elisão fiscal ou planejamento tributário é uma forma legal de pagar um tributo de modo mais vantajoso para o contribuinte, isto é, através de um estudo detalhado, os profissionais da área encontram formas permitidas dentro da própria lei para diminuir os encargos, seja de forma explícita seja através de brechas na lei.

Desse ponto de vista, a instituição de uma offshore é considerada uma forma de elisão fiscal, pois através da criação dessa sociedade, as empresas e particulares se beneficiam com vários incentivos de diminuição de encargos, e até mesmo isenção de determinados tributos nessa zona livre dos paraísos fiscais.

Lembrando que no país de domicílio da empresa ou do particular, os tributos continuam a incidir conforme a legislação local, sem quaisquer interferências.

Conclusão

Demonizar ou estigmatizar o investimento no Brasil ou no exterior não ajuda a melhorar a situação financeira da população. Os governos não costumam motivar a população a poupar, investir e enriquecer. As escolas não ensinam as crianças sobre investimentos e sobre o enriquecimento. Para prosperar é necessário que você busque o conhecimento por conta própria ou conte com a ajuda de um bom profissional certificado e nós da Strike Investimentos, escritório vinculado a Nova Futura, estamos aqui para isso.

Gostou do conteúdo? Compartilhe com seus amigos e deixe um comentário que pode ser até uma dúvida.

Seja bem-vindo(a) a esse novo mundo. 

Um abraço

Time Strike

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *